TIPOS DE PLATAFORMAS DE PETRÓLEO

Posted on Domingo,6 06UTC Março, 2011. Filed under: Educação, Profissão e Ensino |

Olá amigos! Hoje, com essa matéria, quero dividir um pouco do que aprendi sobre o assunto. E, para isso, vou mostrar para todos vocês quais são os tipos de plataformas de petróleo existentes até agora, que eu conheça, é claro. Se vocês souberem de algum tipo novo e que não se encontra aqui na matéria do dia, vocês podem enviar a informação via comentário ou via e-mail, o que é ainda melhor.

Enfim, espero que gostem do post do dia e que ele seja de grande ajuda, principalmente para os interessados no assunto diretamente. Boa leitura e bom aprendizado.

Tipos de Plataformas


De acordo com a finalidade que se destina e a profundidade da lâmina d’água em que irá atuar, as plataformas podem ser:

  • Plataformas Fixas: têm sido as preferidas nos campos localizados em lâminas d’água de até 200 metros. Geralmente as plataformas fixas são constituídas de estruturas modulares de aço, instaladas no local de operação sob estruturas chamadas jaquetas, presas com estacas cravadas no fundo do mar. As plataformas fixas são projetadas para receber todos os equipamentos de perfuração, estocagem de materiais, alojamento de pessoal, bem como todas as instalações necessárias para a produção dos poços. Não tem capacidade de estocagem de petróleo ou gás, tendo o mesmo que ser enviado para a terra através de oleodutos e gasodutos.

Dimensões gerais de uma plataforma fixa
Altura total: 400m ( do fundo do mar até a torre )
Parte submersa: 170m
Parte emersa: 130m
Altura da torre: 80m
Estacas: Penetram até  125m abaixo do fundo do mar
Peso total da plataforma (seca): cerca de 36.500 ton
Peso da jaqueta: 26.700 ton
Peso das estacas: 11.250 ton




  • Plataformas Autoeleváveis: Só podem existir em águas rasas (até 90 metros). As plataformas auto-eleváveis são dotadas de três ou mais pernas com até 150 metros de comprimento. Essas pernas se movimentam verticalmente através do casco. No local da perfuração, as pernas descem até o leito do mar e a plataforma é erguida, ficando a uma altura adequada, acima das ondas. Terminada a perfuração, as pernas são suspensas e a plataforma está pronta para ser rebocada. Existem poucas de produção: as plataformas de perfuração são em maior número.


Ainda não posso postar as dimensões deste tipo de plataforma. Logo quando eu tiver essa informação estarei postando na página. Vamos à próxima?

 


  • Plataforma de pernas atirantadas (Tension-Leg Plataform – TLP): é uma estrutura flutuante ancorada verticalmente. É especialmente utilizada em casos de reservatórios de mais de 300 metros de profundidade. São unidades flutuantes utilizadas para a produção de petróleo. Sua estrutura é bastante semelhante à da plataforma semissubmersível. Porém, sua ancoragem ao fundo mar é diferente: as TLPs são ancoradas por estruturas tubulares, com os tendões fixos ao fundo do mar por estacas e mantidos esticados pelo excesso de flutuação da plataforma, o que reduz severamente os movimentos da mesma. Desta forma, as operações de perfuração, completação e produção das TLPs são semelhantes às executadas em plataformas fixas.





  • Plataformas Semissubmersíveis (Semi-Sub Plataform): são compostas de uma estrutura de um ou mais conveses, apoiada em flutuadores submersos. Uma unidade flutuante sofre movimentações devido à ação das ondas, correntes e ventos, com possibilidade de danificar os equipamentos a serem descidos no poço. Por isso, torna-se necessário que ela fique posicionada na superfície do mar, dentro de um círculo com raio de tolerância ditado pelos equipamentos de subsuperfície. Dois tipos de sistema são responsáveis pelo posicionamento da unidade flutuante: o sistema de ancoragem e o sistema de posicionamento dinâmico. O sistema de ancoragem é constituído de 8 a 12 âncoras e cabos e/ou correntes, atuando como molas que produzem esforços capazes de restaurar a posição do flutuante quando é modificada pela ação das ondas, ventos e correntes. No sistema de posicionamento dinâmico, não existe ligação física da plataforma com o fundo do mar, exceto a dos equipamentos de perfuração. Sensores acústicos determinam a deriva, e propulsores no casco acionados por computador restauram a posição da plataforma. As plataformas semi-submersíveis podem ou não ter propulsão própria. De qualquer forma, apresentam grande mobilidade, sendo as preferidas para a perfuração de poços exploratórios.




  • Navios-sonda: O navio sonda (Drill Ship) SC Lancer é equipado com sistema de posicionamento dinâmico e tem capacidade para perfurar poços de até 6.000m de profundidade, em lâmina d’água máxima de 1.500m. O SC Lancer vem, desde 1990, realizando serviços de perfuração e manutenção de poços para a Petrobrás, em alguns dos principais campos da Bacia de Campos, como Marlim e Albacora. Neste mercado de alta tecnologia e bastante competitivo, o SC Lancer tem, nos últimos anos, apresentado uma das melhores performances operacionais entre os navios atualmente em atividade no Brasil.

 






  • Sistemas flutuantes de produção (FPS - Floating Production Systems): São navios, em geral de grande porte, com capacidade para produzir, processar e/ou armazenar petróleo e gás natural, estando ancorados em um local definido. Em seus conveses, são instaladas plantas de processo para separar e tratar os fluidos produzidos pelos poços. Depois de separado da água e do gás, o petróleo produzido pode ser armazenado nos tanques do próprio navio e/ou transferido para terra através de navios aliviadores ou oleodutos. O gás comprimido é enviado para terra através de gasodutos e/ou reinjetado no reservatório. Hoje temos um novo conceito de FPSO que é uma plataforma com formato circular, este formato é revolucionário, pois traz maior estabilidade e menor custo de construcão podendo assim viabilizar campos petrolíferos de baixa produção em águas profundas ou em ambientes oceânicos severos, essas plataformas podem ser ancoradas ou com sistema DP(Dynamic Positioning) onde ela dispensa o sistema tradicional de ancoragem permanecendo estacionária através do uso de propulsores comandados por computadores e usando informações de posição através de sistemas GPS.


 

Os principais tipos de FPS são:

  1. FPO – As FPOs (Floating Production and Offloading)- são Unidades Flutuantes de Produção e Descarga.
  2. FPSO – As FPSOs (Floating Production, Storage and Offloading)- são Unidades Flutuantes de Produção, Armazenamento e Descarga.
  3. FSU – As FSUs (Floating Storage Unity)- são Unidades Flutuantes de Armazenamento.

As maiores FPS`s têm capacidade de processo em torno de 200 mil barris de petróleo por dia, com produção associada de gás de aproximadamente 2 milhões de metros cúbicos por dia.

——————————————————————————————————————————————————————————————————————-

E então amigos, gostaram da matéria? Eu espero que sim. Mandem seus comentários. Se tiver algum acréscimo que eu possa estar fazendo aqui me enviem. Será uma honra contar com a colaboração de todos vocês.

About these ads

Make a Comment

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

21 Respostas to “TIPOS DE PLATAFORMAS DE PETRÓLEO”

RSS Feed for PetroGasNews Comments RSS Feed

Eu gostei da forma que foi apresentado,ficou claro e fácil de assimilar

how exciting! i have really enjoyed reading this post. you guys have built a great community! lista de email lista de email lista de email lista de email lista de email

Gostei da matéria , muito legal.

qual nome do autor dessa obra de arte ?

Oque significa FPS ?

FPS significa ‘Floating Production Systems’. São navios, geralmente de grande porte, que têm capacidade de produção, processamento e/ou armazenamento de petróleo e gás natural.
Laia mais aqui: http://www.jornalpelicano.com.br/2010/08/fps-fpso/

adorei as postagem foram muito importante para o trabalho q estou fazendo .gostaria das dimensoes gerais das plataformas e suas vantagens e desvantagens se puder. obrigado

Ola gostei muito do seu trabalho deu para esclarecer algumas dúvidas esto a seguir este ramo faço o curso de perfuração e produção petrolífera no instituto nacional de petróleo e dessa forma preciso conhecer mais sobre o mundo petrolífero com a tua juda sei que ei de consiguir

Boa noite! Seu trabalho está espetacular, gostei mesmo! Caso tenha alguma duvida, posso recorrer a Srta. pois estou fazendo um curso sobre Petróleo e gás, mas sei que há muito o que aprender sobre isso, assim sendo, poso lhe incomodar um pouco? Cordialmente, Robledo Machado

Fique à vontade para tirar suas dúvidas Robledo Machado!

Atenciosamente,
PetroGasNews

vc tem facebook ou msn preu poder fazer contato com vc?
tenho muitas duvidas ainda,comecei meu curso faz pouco tempo…
estou muito interessado no meu curso e procuro saber várias coisas e estar bem informado sobre tudo da área!

esse aí é meu inderesso eletrônico: mayk_damascenoo@yahoo.com
se eu puder entrar em contatco com vc ou vice-versa eu agradeço…

keria saber um pouco mais sobre SPAR…
tem como vc me informar ou postar sobre o assunto!?
obrigado

Adorei sua matéria sobre o assunto,consegui terminar minha pesquisa…
posso usar como referência o seu blog?
vlw mesmo

Tudo bem?

Você é estudante ou professor da área de Petróleo e Gás Natural? Estou usando sua matéria numa apresentação e gostaria de citá-lo como referência bibliográfica, você autoriza? Qual é seu nome completo?

Obrigado!

Abraço!

Perdoe a demora para responder. Quando fizer algum trabalho você pode citar o blog como referência. E sim, já fui professora de Petróleo e Gás e sou formada na área.

muito legal! consegui concluir minha pesquisa graças a essa materia…

Que bom! Fico muito feliz por você e pelo PetroGasNews. Obrigada e volte sempre!

Adorei as fotos (é uma foto mais linda que a outra) e os desenhos esquemáticos de cada uma delas.

Adriele Coêlho (Maceió-AL)

Que bom Adriele. Fique com a gente. Sempre teremos notícias e informações novas no nosso site. Obrigada!


Where's The Comment Form?

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 29 outros seguidores

%d bloggers like this: